Nenhum comentário

Cannabis para pets ainda causa controvérsia

Cannabis para pets oferece bem-estar no tratamento de algumas doenças

Tratamentos alternativos sempre são alvos de muita polêmica. E o uso de medicamentos à base de Cannabis para pets, não poderia ser diferente.

Os primeiros estudos e pesquisas começaram na Califórnia, Estados Unidos, ainda na década de 1990 e foram ganhando adeptos, assim que os resultados positivos começaram a aparecer.

Os tutores de pets, idosos ou não, com doenças como epilepsia, broncopatia, convulsões, entre outras, começaram a divulgar os progressos alcançados por seus animais e, mais e mais, tutores e profissionais passaram a buscar esses tratamentos.

O cannabidiol (CBD)

Com utilização e eficácia no alívio de várias patologias humanas, o cannabidiol (CBD) é substância presente na maconha (Cannabis sativa), em cerca de 40% da planta.

Entre as indicações do cannabidiol estão o uso como anticonvulsivante, anti-inflamatório, ansiolítico e antitumoral.

O fato que impulsionou as pesquisas e o uso de Cannabis para pets, especialmente gatos e cães, foi  a descoberta do Sistema Endocanabinoide (SEC) nos animais.

O tratamento em pets

Tutoras e tutores sabem o quanto é desesperador saber que seu pet está com dor ou sofrendo de alguma doença permanente. E, nem assim conseguir um tratamento para reduzir ou resolver a situação.

O tratamento com CBD deve ter acompanhamento veterinário contínuo.

Cada produto tem uma indicação e uma formulação próprias e o organismo do pet vai reagir à sua maneira a ingestão do cannabidiol. 

Essa reação é, em boa parte, resultante de fatores como: fonte do cânhamo, forma de coleta ou extração, tipo de extrato e processos de fabricação e manipulação.

A tintura CBD, chamada popularmente de óleo CBD é de fácil administração, diretamente na boca do pet. Existem ainda guloseimas e petiscos à base de cannabidiol, porém, o efeito é mais demorado.

A indicação de tratamento para quadros de transtorno de ansiedade, doenças autoimunes, dores crônicas, traumas psicológicos, crises epilépticas, estresse agudo, câncer e várias outras doenças.

O profissional especializado deverá ajustar a dosagem ao quadro clínico do pet. Para isso, os fatores como raça, peso, patologias e outros índices são importantes para definir a dosagem..

Animais com miocardiopatia dilatada e hipersensibilidade a canabinoides não podem utilizar o medicamento em nenhuma hipótese. 

As polêmicas da cannabis para pets

Nem tudo são flores para o tratamento com cannabidiol. Aqui no Brasil, o Conselho Federal de Medicina Veterinária – CFMV não tem uma orientação clara, específica para apoiar os profissionais.

E, apesar da Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária –  ter aprovado, em dezembro de 2019, a importação, produção e comercialização de medicamentos derivados da cannabis, outros setores do Governo não acompanharam a evolução.

Cannabis para pets idosos aumenta a qualidade de vida e longevidade

Desta forma, por não ter a utilização regulamentada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa, e nem pelo CFMV, o mercado deduziu que “se não é proibida é permitida”.

Com isso, não existe penalização para a prescrição. Porém, muitos entendem que se o veterinário der o óleo ao tutor, poderá até configurar como tráfico de drogas.

A verdade é que não há mais como discutir se cannabidiol faz ou não efeito, mas sim, de desenvolver esse mercado, para humanos e pets.

Leia também: Pets ganham novas terapias

A opinião dos especialistas

Segundo Darwin Ribeiro, fundador da Medicina In: ” O crescimento é inevitável, pois, o medicamento responde muito bem para muitas pessoas e animais. Portanto, em muitos casos é a única solução conhecida, e por isso a demanda continuará pressionando governos e instituições.”

“A importação direta com autorização da Anvisa já é uma realidade para milhares de pessoas. Para os pets, o caminho será via MAPA”, acrescenta Ribeiro.

A empresa Medicina.In é um hub, isto é, um modelo inovador de medicina on-line, que é composto por profissionais experientes na prescrição de Cannabis,. Com isso, ela busca disseminar conhecimento e acesso aos benefícios da Cannabis Medicinal.

E o mercado não para de oferecer possibilidades. Para ampliar o debate e as informações a respeito, entre os dias 4 e 7 de maio, ocorrerá a Medical Cannabis Fair 2021, no Expo Center Norte, em São Paulo.

O Congresso Brasileiro da Cannabis Medicinal ocorrerá entre os dias 4 e 5, em paralelo ao evento comercial. A programação oferece estudos sobre o uso de Cannabis para pets.

Os desafios para esse tipo de tratamento são tão grandes quanto as possibilidades de crescimento. Com a divulgação de novas pesquisas e a desmistificação do tratamento, muitos pets e seus tutores vão se beneficiar.

OBSERVAÇÃO:

OBS: No momento em que esta matéria é publicada, a pedido da ANVISA, o desembargador federal Cid Marconi, do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), suspendeu a permissão que a Associação Brasileira de Apoio Cannabis Esperança – ABRACE tinha de cultivar maconha com fins medicinais.

A ANVISA alega que  “A medida é necessária para evitar risco sanitário que possa levar ao agravamento da saúde dos pacientes”.

Lembrando que ela afeta diretamente mais de 14.000 pessoas, entre elas crianças e idosos em seus tratamentos para convulsões, Alzheimer, Parkison e tantos outros.

crédito fotos – K9 Medibles

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Menu