Nenhum comentário

Como reduzir o medo de veterinários dos pets

O medo de ir ao veterinário compromete o bem-estar dos pets

Porque alguns pets têm medo de veterinários? O que causa ansiedade, estresse ou pânico quando eles entram no consultório?

Muitas podem ser as causas ou razões desse comportamento que, muitas vezes se repetem ao entrar em locais desconhecidos, como pets shops, shoppings centers, entre outros.

Assim, muitos pets começam a ficar ansiosos em situações fora da rotina, por exemplo: muitos estímulos visuais. Painéis, letreiros, cartazes, excesso de pessoas, ambientes com outros animais, com ruídos constantes ou muito altos; tudo isso pode assustar o pet.

Prevenindo a ansiedade dos pets

Os animais não podem “dizer” como se sentem. Imagine estar em um país onde você não compreende nada do idioma falada e as pessoas também não conseguem entender o que você diz.

Essa situação é um bom exemplo de como cães e gatos se sentem quando entram em um consultório veterinário, eles experimentam um boa parte das situação listadas anteriormente, o que desencadeia vários sentimentos negativos como ansiedade, estresse e pânico.

Cada animal tem a sua forma e reações diferentes aos seus medos ou ansiedades, alguns ficam mais agressivos, o que pode colocar em risco os funcionários da clínica, os outros pacientes e até o veterinário.

Por isso, é importante entender a causa dos medos e as formas de reagir, para evitar que ocorram casos futuros, ou imediatos.

Dicas para reduzir o medo de veterinários

Em geral, os profissionais da Medicina veterinária conhecem bem os estímulos que geram estresse nos animais e, por isso, os hospitais, clínicas e consultórios veterinários tendem a ser um ambiente calmo, mais silencioso e com poucos apelos visuais.

Tudo isso para tornar mais agradáveis as visitas dos pacientes agradáveis.

Por isso, seguem algumas dicas e truques para tutores, Clínicas e profissionais de veterinária, para ajudar (ou eliminar) o medo de veterinários pelos pets:

PARA TUTORES – Tomar ações preventivas para associação positiva antes das visitas.

1 – Como os pets podem associar a experiência veterinária à dor ou desconforto devido à natureza da maioria das visitas, é importante ter algum tipo de associação positiva antes da visita.

Isto ajudará a evitar o aumento da ansiedade antes que o animal chegue à clínica, reduzindo o nível de estresse quando chegar à clínica. Alguns exemplos de associação positiva:

2 – Se a única vez que os pets entram no carro é para ir à clínica, e eles já têm um nível de estresse mais alto.  A sugestão é que o tutor leve os animais em passeios a lugares aleatórios com mais frequência e, se possível, que esses passeios sejam divertidos.

3 – Se possível, levar o pet para a clínica veterinária com um pouco de fome, assim ele aceitará petiscos e ajudará na criação de uma associação positiva entre os petisos e visitas veterinárias.

4 – Para pacientes com alto índice de estresse, pode até valer a pena pedir ao tutor (se isso for possível para ele) que pare aleatoriamente na clínica durante o horário comercial e entre para fazer uma visita ou pegar um petisco! Assim, os pets vão interpretar com um local rotirneiro e agradável.

5 – Levar o brinquedo ou objeto de conforto favorito dos pets, para que ele possa brincar ou entreter-se durante a consulta ou tratamento.

PARA CLÍNICAS E CONSULTÓRIOS VETERINÁRIOS

1 – Permitir que o dono do animal fique perto do animal durante os tratamentos, proporcionando uma sensação de segurança para o pet.

2 – Os colaboradores das clínicas devem fazer movimentos suaves e lentos, permitindo que o cão esteja atento e não assustado.

3 – Se um cão for avaliado como tendo um nível de estresse muito alto e a sala de espera estiver ocupada, é melhor que esse paciente fique em um espaço mais reservado, como uma sala de exame, por exemplo.

4 – Os colaboradores e assistentes devem pedir permissão para o tutor antes de dar um petisco ao pet. E devem oferecer lentamente, da melhor maneira e sem pairar sobre o animal.

5 – Ter uma toalha pré-lavada com feromônios designados para cobrir os portadores de gatos, se necessário. Mesmo ter um difusor de óleo com lavanda ou camomila pode ajudar a relaxar tutores e pets. Evitar o uso de hortelã, pimenta ou alecrim, pois estes odores poder servir como incentivo aos pets para ficarem de pé, se moverem ou vocalizarem.

Essas são dicas básicas para permitir que o pet perca o medo de veterinários, entretanto, não são as únicas. Cada tutor conhece bem seu pet e pode criar outras alternativos para reduzir o estresse. Uma solução é fazer as consultas veterinárias em sua residência (se o estado geral de saúde do pet permitir).

O importante é transformar as consultas veterinárias em rotina para os pets, assim, reduz o medo, o estresse e pode prevenir muitas doenças, garantindo longevidade e bem-estar.

crédito foto – Photo by Werzk Luuu on Unsplash

Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Menu