Nenhum comentário

Será que se você estiver em perigo, seu cão vem te salvar?

Estudo analisa comportamento do cachorro para salvar seu tutor

Há alguns meses o mundo ficou sensibilizado com o cachorro chinês que ficou na frente do hospital por três meses à espera do tutor, internado em Wuhan, sem saber se ele havia falecido cinco dias após ser internado. Todo mundo fala que o cão sempre vem salvar seu tutor.

Muito se fala do amor incondicional e do zelo dos cães com os humanos. A dúvida é; será mesmo que seu cão vem te salvar em caso de perigo?

Um estudo da Universidade do Arizona, Estados Unidos, resolveu realizar um estudo sobre o assunto e tentar provar se isso é fato ou mito.

O estudo reuniu 60 cachorros

Nos filmes e desenhos, vemos cães super-heróis salvando os humanos e, principalmente seus tutores. “Isso é uma situação bem conhecida. Mas, simplesmente observar os cães resgatar uma pessoa, não significa muita coisa. Será que o seu cão vem te salvar em caso de perigo?”, questiona Joshua Van Bourg, coordenador do estudo.

Já vimos e ouvimos muitas histórias reais de cães tirando seus tutores de grandes enrascadas, porém, qual é a motivação que os leva a fazer isso.

O estudo reuniu sessenta cachorros, sem qualquer treinamento ou preparo prévio. A tarefa era resgatar os humanos de dentro de uma caixa.

Os tutores foram orientados a pedir ajuda, de forma convincente (ao menos para outros humanos…) e a caixa tinha uma porta que os cães precisariam abrir.

As motivações para o salvamento

Para os pesquisadores – e também para os tutores – é difícil determinar as motivações do cachorro, se estão atuando de forma empática, por algum motivo altruísta ou se existe outros motivos.

“O verdadeiro desafio (e objetivo desse estudo) é descobrir porquê eles fazem”, analisou Van Bourg.

Leia também: Conheça alguns motivos de ataques de cães

As provas

A “Prova de Socorro” era a principal e consistia em colocar os tutores dentro da caixa grande e, estes deveriam vingir (de forma convincente) que estavam em perigo real, devendo gritar para os cães frases como: “Ajuda!”, “Socorro” !

Sem treinamento prévio, vinte cães, entre os 60 participantes conseguiram abrir a porta e “resgatar seu humano”.

Para ver se o cão vai salvar o tutor foram aplicadas três provas
Os cachorros não fizeram treinos para as provas

Outra parte do desafio era composta de mais duas provas, para medir o controle e motivações dos cachorros. A primeira chamada “Prova de Leitura” e a segunda “Prova de comida”.

Na “Prova de Leitura”, o tutor ficava na caixa lendo em voz alta, no entanto, demonstrando tranquilidade, enquanto o cão ficava do lado de fora e poderia entrar pela porta.

O resultado foi que 16 (27%) dos 60 cães tentaram entrar, demonstrando que gostariam de estar com o tutor.

Já na “Prova de comida” os cachorros viram o pesquisador colocar comida dentro da caixa, sem ninguém dentro dela. Dos 60, 19 cães conseguiram entrar na caixa e pegar a comida.

A conclusão dos pesquisadores foi que os cachorros são tão motivados a liberar seus tutores como para buscar a comida, o que indicou que para o cão, salvar o tutor em caso de perigo, pode ser uma ação gratificante.

Outro dado interessante da pesquisa é, para o cão, saber como abrir a caixa é fator determinante na hora de salvar seu tutor.

As respostas trazem novas dúvidas aos pesquisadores

Durante os testes, vários fatores físicos dos cães foram analisados, como as alterações na respiração, o uso do olfato, os latidos, choros e inquietação.

As provas mais estressantes para os animais foram de “socorro” e “resgate”, com o cachorro bastante inquieto, diante do “desespero” do tutor.

Essa disposição (ou desespero) em acudir um tutor em perigo pode ser um indicador da hipótese de um comportamento empático.

Os pesquisadores concluiram que “O sucesso na prova de comida e a experiência anterior (em casa) de abrir objetos foram determinantes de liberação do proprietário. As provas de comportamento pró-social  para os cães devem controlar a capacidade física e a experiência anterior “.

Finalmente, conclui-se que a estudos nesse formato não determinam as motivações que podem ter um cão, se elas são instintivas ou já trazem traços de empatia,

Diante disso, novos estudos deverão surgir em breve. E você, tem certeza que se estiver em perigo, seu cão vem te salvar?

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Menu